Mar profundo: o mundo desconhecido

Mar profundo, o maior ecossistema do planeta, chegando a ter mais de 90% de toma a massa oceânica. Não se conhece muito sobre ele, devido às condições limitantes do homem. Portanto, é um ambiente que guarda gigantes segredos que ainda há de descobrir. O mar profundo se encontra na zona batipelágica em diante, começando em mil metros de profundidade e chegando a ter mais de 10 mil. Por maior que seja este lugar chegando a ser quase inóspito (comparando pela densidade demográfica) sua temperatura e salinidade chegam a ser praticamente constante, entre 0°C a 4°C e 34% a 35%, respectivamente.

 

O ambiente nesta zona não possui luz alguma, porém há animais que mesmo assim, enxergam a sua volta. Isso é possível por causa que certos animais possuem uma adaptação muito interessante, chamado de bioluminescência. A bioluminescência é gerada por reações químicas altamente exotérmicas, onde sua energia das ligações químicas de compostos orgânicos é convertida em luz visível.

 

Os animais nesta região possuem uma grande longevidade por conta de seu metabolismo super lento. A maior parte deles são ectotérmicos (animais que não regulam a temperatura corpórea), então seu corpo permanece na mesma temperatura. Sendo assim, isto faz com que todas suas reações químicas internas sejam mais lenta e por consequência prolongando suas vidas (o mesmo fenômeno ocorre quando é deixado algum alimento no congelador  para que ele demore mais tempo para estragar).

 

Os animais endotérmicos nesta zona possuem uma grossa camada de gordura para que possam isolam seu calor interno com eficácia, e possam suportar o frio congelante desta região.

 

Em um lugar onde há frio, pouca comida, e nenhuma luz, é de se esperar que animais viventes nesta região possuem estranhas adaptações para predominar sua espécie. Assim como:

 

 

Peixes-lantera

 

Este peixe assustador possui uma “lanterna” na sua cabeça que faz com que possa atrair presas para sua grande boca, e também usado para reprodução. Isso pode fazer qualquer um temer o mar com todas suas forças. Tenha medo, porém não deste peixe, pois ele possui apenas de 10 a 15 cm de comprimento, então o máximo que pode acontecer é ele morder seu dedão.

 

Peixe Gota

 

Este  peixe é considerado o peixe mais feio do mundo de acordo com cientistas, e possui adaptações bem estranhas, porém redundantes para esta região. Ele possui músculos gelatinosos e redução do esqueleto, porque simplesmente não precisa de uma grande coluna ou uma pele rígida. Então quanto menos massa para sustentar, melhor. Uma vez que precisa economizar o máximo de energia possível, pois não se sabe quando irá conseguir se alimentar novamente

 

 

Caranguejo-aranha Gigante

 

Caranguejo-aranha Gigante

 

 

Caranguejo-aranha Gigante também conhecido como Aranha do Mar, é um dos mais gigantescos animais abissais. Muito encontrado na região japonesa, quando está com as patas esticadas, pode atingir até quatro metro e podendo pesar 20 quilos.

 

 

fatores limitantes

Há uma enorme incerteza sobre a quantidade de espécies viventes neste lugar, possivelmente em escala de milhões de acordo com a pesquisadora do Museu de História Natural dos EUA, Nancy Kmowlton. A razão para tanto desconhecimento está nas dificuldades técnicas e nos altos custo das pesquisas em ambientes marinhos, especialmente em grandes profundidades. Investigar os oceanos é uma tarefa não somente árdua, mas muito cara. Um dia de navio com um submersível ou mesmo um robô pode custar mais de 100 mil dólares.

Como ocorrem as reações químicas

Você já deve saber que muitas moléculas naturais podem ser produzidas artificialmente em escala industrial. Vários compostos orgânicos são produzidos através de uma série de mecanismos de reação de química orgânica, e algumas dessas rotas reacionais já renderam prêmios nobel, mas a pergunta é: como esses mecanismos são realizados para formarem as moléculas desejadas?

Um grande exemplo de molécula que rendeu um prêmio nobel é a penicilina (aquele remédio antibiótico). O poder bactericida da penicilina foi observado pela primeira vez em 1928 por um médico pesquisador chamado Alexander Fleming, que observou que uma substância gerada pelo fungo Penicillum notatum era capaz de matar certas batérias. Não se sabia como sintetizar a molécula para produzir o remédio a nível industrial, até começarem a avançar as pesquisas acerca dessa substância devido à necessidade na segunda guerra mundial. O Dr. Norman Heatley foi capaz de criar uma rota reacional com várias etapas para formar e penicilina sintética e, por causa disso, ganhou o nobel da medicina (17 anos após a descoberta da molécula). Agora você já pôde perceber como não é tão fácil obter certas substâncias.Que-es-y-para-que-sirve-la-quimica-organica-2

No ensino médio, aprendemos sobre várias reações diferentes, mas não é de costume aprender sobre as reações em química orgânica (a maioria das escolas focam mais nas nomenclaturas das moléculas). Mas é uma coisa simples de entender: cada molécula possui vários átomos com vários elétrons. O núcleo dos átomos possuem uma certa positividade; são chamados de eletropositivos, enquanto os elétrons são eletronegativos. Uma molécula pode ter uma região mais rica em elétrons (parte mais negativa) ou pobre em elétrons (parte mais positiva) e uma parte mais positiva sempre se atrai por uma parte mais negativa. Quando essa atração é mais forte que a estabilidade, há uma reação. Basicamente, as reações químicas se baseiam em atração de + e -, o que muda a configuração molecular numa transformação química. Parece simples pensando dessa forma, mas uma molécula pode ter várias regiões positivas e/ou várias negativas, o que dificulta um pouco o trabalho dos químicos.

Hoje em dia a química avançou bastante e a sociedade é muito dependente desse ramo científico, tendo diversas aplicações importantes, como na medicina ou em indústrias.

  • MARKEL, Howard. The Real Story behind Penicillins. PBS NEWSHOUR. 2013
  • Imagem de: canaldoensino.com.br
Featured Image -- 2405

“The Life of Oceans”.

Old Guv Legends

sea-79950_640It pays to be nice. One of the most absolutely, emphatically wrong hypotheses about the oceans was coined by one of the most carefree and amiable people in nineteenth century science.
It should have sunk his reputation without trace. Yet, it did not. He thought the deep oceans were stone cold dead and lifeless. They’re certainly not that. Even more amazingly, it was clear that the deep oceans were full of life even before he proposed his hypothesis — and yet the idea persisted for decades.
He is still regarded as the father of marine biology. There’s a moral in that somewhere.
Edward Forbes was born a Manxman who early developed a love of natural history. He collected flowers, seashells, butterflies with a passion that saw him neglect, then fail dismally in, his studies: first as an artist (he had a fine talent for drawing) then as a doctor. He…

Ver o post original 350 mais palavras

Benefícios de comer frutas de época

Na agricultura convencional, vemos que em todas épocas do ano temos inúmeras frutas disponíveis em qualquer mercado. Porém, há um preço muito grande a ser pago por toda essa variedade. Quando a safra é produzido na época adequada, o uso de produtos químicos é muito menor, sendo que há um favorecimento do próprio ambiente para que se consiga produzir. Sendo assim, a fruta fica mais saborosa, mais barata e mais saudável para o seu organismo.

E quando se tem frutas fora da época, é necessária uma intervenção humana, que é a aplicação de grandes quantidades de produtos químicos para que a fruta fora da época possa se desenvolver e, por consequência, perdem a qualidade, ficam mais caras (pelo grande investimento de agrotóxicos e técnicas agrônomas para que a fruta amadureça) e representam riscos para a saúde.

Lembrando que tais produtos químicos afetam não só os consumidores, como também afetam a saúde dos trabalhadores rurais e do meio ambiente.

Conheça então as tabelas de frutas, legumes e verduras da época no Brasil. E pense bem na sua saúde e no seu bolso antes de comprar e consumir.

Frutas:

poca Frutas.JPG

Verduras:

Legumes:

Referências:

GONSALVES, P. E. Maus hábitos alimentares. São Paulo:Agora, 2001

MIRANDA, A. C.; MOREIRA, J. C.; CARVALHO, R.; PERES, F. Neoliberalismo, o uso dos agrotóxicos e a crise da soberania alimentar no Brasil. Ciência Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v.12,n. 1, p. 15-24, 2007.

http://www.feiradelivery.com/epoca

 

#6 Wild pic

 

A língua dos felinos é longa e flexível. Possuem uma superfície áspera, constituindo pequenas saliências inclinada para dentro (papilas). Eles possuem um paladar muito sensível, podendo assim reconhecer a qualidade do alimento que está prestes a comer. Por causa disso gatos domésticos costumam ser tão enjoados, só comendo o que realmente os agrada.

9096a32a-c121-434b-ad24-8d12e5515d42.jpg

Estes pequenos filamentos tem inúmeras funções, assim como:

  • Lavar, pentear seus pelos. No caso de felinos com uma longa pelagem, eles acabam ingerindo o próprio pelo, por isso as bolas de pelo, que são eliminadas naturalmente por vômitos.
  • Retirar a carne dos ossos de suas presas

 

 

Os vírus são mais importantes do que você imagina – virus are more important than you think

Não é novidade que a causa mais abundante de morte no planeta é causada por vírus. De

Vírus infectando uma célula.

uma forma superficial, é intuitivo pensar que os vírus são os vilões da história biológica do planeta. Porém, ao compreender as interações ecológicas e evolutivas entre vírus e seus hospedeiros, vemos que sua função é de suma importância na regulação de seres vivos do nosso querido Planeta Terra.

Primeiramente, vamos falar sobre um efeito bem conhecido entre os microbiologistas, chamado de “Red Queen” (Van Valen, 1973), em que o vírus e seu hospedeiro mostram adaptação evolutiva contínua, mantendo os dois adaptáveis um ao outro. Isso quer dizer que, quando o hospedeiro cria uma imunidade contra o vírus, logicamente o vírus precisa criar outra forma de conquistar seu hospedeiro. Logo, isso faz com que os dois, a todo instante, sofra processos evolutivos, mantendo ampla constância na aptidão relativa.

Bom, aí você pensa: se não existisse vírus, os hospedeiros não precisariam de adaptações, certo? Errado. Há outro fenômeno chamado “kill the winner” que consiste em regular as populações de predadores e presas. Isso ocorre porque, ao ter um índice muito grande de predadores (por ter um ambiente mais adaptável), eles ficam mais suscetíveis a serem infectados. Isso acarreta na morte de muitos predadores e, assim, a biota é regulada novamente.  O nome “kill the winner” (mate o vencedor) se dá justamente por isso: o ser que estiver mais adaptado ao ambiente começa a se proliferar mais, fica mais “visível” ao vírus e, assim, o vírus mata, diminuindo sua população.

Resumindo: os vírus são exímios controladores populações; impedem que uma devida espécie superpopule alguma biota e que acabe por completo com suas presas. Assim, predadores sempre terão sua comida, uma vez que uma superpopulação acabaria por completo com suas presas.

Referências:

Fuhrman, J.A. (1999) Marine viruses and their biogeochemical and ecological effects

Suttle, C.A. (2005) Viruses in the sea

Van Valen, L. (1973) A new evolutionary law

Constituição dos materiais explosivos – Constitution of explosive materials

5set2013-fogos-de-artificio-estouram-durante-apresentacao-musical-para-os-chefes-de-estado-do-g20-em-sao-petesburgo-na-russia-na-noite-de-quinta-feira-5-1378468564487_956x500Explosivos podem ser usados em apresentações tão magníficas como em fogos de artifícios, mas, ao mesmo tempo, podem ter destinos tão horríveis, como no uso bélico. E por trás disso existiu todo um desenvolvimento no conhecimento científico e tecnológico para tais fins de uso dos mesmos.

Agora você já parou pra se perguntar sobre o que causa uma explosão?

Uma explosão é, na verdade, uma reação química exotérmica e extremamente rápida, ou seja, ela libera muita energia (calor) de uma vez. Toda reação química exige uma certa energia de ativação para que ela ocorra e, no caso dos explosivos, essa energia pode ser obtida a partir da queima, choque mecânico ou atrito. E têm uma velocidade de reação muito alta devido à instabilidade da conformação molecular (possui muita energia); e

tnt

Imagem de Brasil Escola

o material se transforma muito rapidamente em gases e calor. Normalmente explosivos são moléculas orgânicas que apresentam o grupo funcional nitro (grupo que possui um átomo de nitrogênio com carga formal positiva e dois oxigênios com carga negativa), como no caso do TNT (trinitrotolueno), da pólvora e da nitroglicerina. Esses três exemplos possuem três grupos nitro cada, o que faz com que sejam muito destruidores!

Outro tipo de explosão é a partir da fissão nuclear (divisão de um átomo), que origina as bombas atômicas.

reacao-em-cadeia

Imagem de InfoEscola

Uma bomba nuclear é constituída, em sua maior parte, por urânio-235. Esse átomo é capaz de se dividir em dois, formando o criptônio e o bário, além de liberar dois nêutrons e energia; muita energia!; energia pra caramba! E quando esses nêutrons colidem com outros átomos de urânio-235, essa colisão gera mais fissão nuclear, mais liberação de nêutrons e mais energia, gerando um processo em cadeia que causa grandes desastres. A energia liberada pela fissão de um gramas de urânio é equivalente à queima de 100 toneladas de carvão; e essa queima toda é extremamente quente. A ativação de uma bomba nuclear requer apenas um nêutron para sua aplicação.

Mas o que significa urânio-235?

235 é a massa atômica; é a soma da quantidade de prótons e a quantidade de nêutrons do átomo. Seiscentos sextilhões de átomos de urânio-235 (um mol) pesam, aproximadamente, 235 gramas.

O átomo de urânio, além de ter um fim horrível, também pode ter um destino bonito, como na geração de energia elétrica sem que o ambiente seja poluído no processo.

Como todos já devem sabem, a ciência nunca foi e nunca será neutra. Sempre causa impactos na sociedade, podendo ser negativos ou positivos. e por favor, não tente reproduzir em casa nada do que foi falado aqui.